Ervas aromáticas em vaso: 6 erros comuns!

Ervas aromáticas em vasos

As ervas aromáticas são um ingredientes essenciais no mundo da gastronomia e muito utilizadas na dieta mediterrânea.  Na cozinha portuguesa, por exemplo, há várias receitas que ganham muito sabor devido a uma mão cheia de coentros ou salsa, umas folhas de manjericão ou um ramo de alecrim. Utilizadas corretamente ajudam a diminuir o teor de sal das receitas porque são consideradas um bom substituto. 

Assim, cultivar ervas aromática em casa tem despertado cada  mais interesse de quem privilegia uma alimentação equilibrada e saudável.

No entanto, para quem vive em apartamentos e não tem terreno/jardim para plantar as suas ervas aromáticas preferidas, pode fazê-lo em vasos, para ter sempre à mão ervas frescas, mas é preciso fazê-lo corretamente.

Por isso, partilho aqui a lista de 6 erros comuns no cultivo  de plantas aromáticas em casa, uma vez que estas plantas requerem alguns cuidados:

Erro 1 – Não transplantar as ervas de vaso

Depois de comprar as ervas aromáticas, devem transplantar para um vaso maior, entre 2 a 3 vezes o tamanho do vaso actual.

Erro 2 – Vasos inadequados à dimensão da erva aromática

Cada planta tem necessidades diferentes de espaço. Uma planta aromática de crescimento mais robusto necessita de um vaso de maiores dimensões.  No entanto, existem ervas aromáticas que gostam de ter as suas raízes mais “congestionadas”. 

Erro 3 – Plantar aromáticas em vaso sem drenagem adequada

Uma planta num vaso sem drenagem adequada, não aguenta muito tempo. Confirmem se a drenagem é boa. Se não for, façam mais furos na parte inferior do vaso para desta forma garantir que o excesso de água sai para o exterior do vaso. Quero com isto dizer que, quando a drenagem não é adequada, a acumulação de água nas raízes pode provocar asfixia ou apodrecimento.

Assim, para dar boas condições de crescimento e desenvolvimento às suas ervas aromáticas, podem por exemplo colocar “pedrinhas” no fundo dos vasos para melhorar o processo de drenagem. 

Erro 4 – Rega – demais ou insuficiente

Uma das principais razões para uma erva aromática morrer é o excesso ou a falta de água. Assim, antes de regar, sintam a terra com o dedo, ou seja, enterrem o vosso polegar na terra. Se sair limpo, sem terra significa que está muito seca provavelmente está com sede. No entanto, nem todas as ervas, têm os mesmos requisitos de cuidados. Algumas ervas preferem o solo mais seco e não gostam de ambientes húmidos. 

Erro 5 – Falta de exposição solar adequada

Se não existir exposição solar e tiverem os vasos das vossas ervas em casa sem sol, escolham por isso as variedades mais adequadas e facilmente adaptadas ao cultivo no interior sem sol. 

Erro 6 – Não cortar de modo correto

Cultivar aromáticas é simples o mais difícil por vezes é cortar de forma correta. Devem cortar de cima para baixo, a partir do segundo par de folhas, de modo a incentivar a renovação de novos caules. No caso da salsa, e de coentros, o corte deve ser feito na base do caule, junto ao solo.

Antes de se iniciarem no cultivo das ervas aromáticas,  sugiro que façam uma pesquisa mais a fundo das ervas aromáticas e só depois comprem as que melhor se adaptam às vossas condições.

Em resumo: se entretanto optarem por continuar a comprar raminhos para confeccionar as minhas receitas, sugiro que leiam este artigo: Como conversar ervas aromáticas no frigorífico? 

Boas receitas!!

Chef Luís Machado